Entrevista com Rafael Prikladnicki sobre Ágil Distribuído

Rafael Prikladnicki

 

 

 
 

Rafael Prikladnicki (@rafaelpri), Diretor do Parque Científico e Tecnológico da PUC-RS (TECNOPUC) e professor da Pós-Graduação em Ciência da Computação da Universidade, é curador da Trend Talk: Ágil Distribuído e conta um pouco sobre esta sessão do Agile Trends 2015!

 
Agile Trends: Rafael, você poderia falar um pouco do que podemos esperar da Trend Talk sobre Ágil Distribuído?

Rafael Prikladnicki: Teremos duas palestras de alto nível, com casos reais de duas empresas que são referência hoje em adoção de métodos ágeis com equipes distribuídas.

AT: Qual é a sua expectativa para a rodada de discussões dos Talkers com os participantes do Agile Trends?

RP: Minha expectativa é a melhor possível. Realmente espero que os participantes possam aproveitar a oportunidade para trocar experiências com os palestrantes a partir dos casos apresentados, visto que projetos com equipes distribuídas são cada vez mais comuns e o aprendizado é muito orientado para a prática.

AT: Por que é importante saber mais sobre Ágil Distribuído?

RP: Por que é uma tendência. O tema em si começou a ser explorado no final da década de 90 e em um mundo cada vez mais globalizado, trabalhar com equipes distribuídas é cada vez mais uma necessidade. Assim, entender como métodos ágeis podem ser adotados de forma eficiente passa a fazer parte da agenda das empresas.

AT: A qual tipo de profissionais o tema Ágil Distribuído deve interessar?

RP: A todo e qualquer profissional que atua em empresas que possuem equipes geograficamente distribuídas, não necessariamente globais. Pode ser uma equipe distribuída entre todos Estados do Brasil, como Pernambuco e São Paulo.

AT: Quais empresas já estão usando/praticando Ágil Distribuído?

RP: Milhares. Para citar algumas, as empresas dos palestrantes, ThoughtWorks e Ci&T. Mas podemos citar ainda Stefanini, Accenture, Dell, HP, Motorola, Samsung, DBServer, Tlantic, IBM, Ilegra, eCore… Enfim, a lista é enorme…

AT: Rafael, obrigado pela entrevista e até o Agile Trends 2015!