Programação Agile Trends Floripa 2018

 
 
 

10 de outubro

07:30 Credenciamento e Welcome Coffee
09:00

Abertura Oficial
09:40 KEYNOTE
Agile Coaching – Case PagSeguro

Mariana Zaparolli

A busca por eficiência e eficácia vem sendo foco das Organizações que perseguem as chamadas Transformações Digital e Ágil. No PagSeguro a Jornada de Agilidade tem papel fundamental na busca por um crescimento sustentável. Nesta apresentação compartilharei como tratamos o agile coaching no PagSeguro, como o time de Agile Coaches interno foi estruturado, como ele está posicionado, qual a atuação e os desafios deste time.

Minibio: Experimentadora e disseminadora da Cultura Ágil desde 2013. Atua com Agile Coaching e Governança Lean de Portfólio há 3 anos, catalisando a agilidade em toda a organização onde desenvolve seu trabalho. Atua há mais de 10 anos no mercado de Tecnologia com desenvolvimento de sistemas, gestão de projetos e portfólio. Após longo período em empresas tradicionais (Telefônica, Unibanco e Itaú) decidiu direcionar sua jornada para uma fintech (PagSeguro). É formada em Engenharia de Computação (FURG-RS) com mestrado em Computação Musical (IME-USP).

Trilha
Agile Coaching
Trilha
Cases de Scrum & Lean-Kanban
Trilha
DevOps, Eficiência e Entregas
Trilha
Gestão de Produtos
Trilha
Workshops

10:50 Gestão Participativa: 5 ações para elevar o mindset ágil e de inovação
Lizandra Bays dos Santos
(Serpro)
O que acontece (de bom e de ruim) após implantação de Kanban?
Leonardo Denardi
(Senior Sistemas)
Jornada para DevOps – Ferramental, o que escolher?
Arthur Alonso
(TIVIT)
Lean Thinking – O poder do Value Stream Mapping (VSM) no mundo Agile
Erasto Jose Meneses Ortiz
(Softplan)
Workshop de Visual Thinking – Desenvolvendo suas Habilidades em Facilitação Visual
Leonardo Miranda
(Globo.com / LAB3i ESPM Rio)

Tanto a cultura ágil quanto de inovação precisam de ambiente estimulante, além de empregados engajados e motivados. Estabelecer o senso de pertencimento, que é quando os empregados se sentem autores do negócio ou produto da empresa, é essencial para gerar esse ambiente.
Baseada na comunicação, a gestão participativa se mostrou uma abordagem apropriada para nos ajudar a aflorar o pertencimento.
Nessa talk vamos contar uma história do Serpro, sobre ações de gestão participativa que adotamos em um segmento dessa empresa pública, e como elas estão nos ajudando a avançar em agilidade e inovação.

Após uma mudança de cultura a aplicação de metodologias ágeis, temos vários desafios para evolução das práticas e melhoria nos resultados dos times. Enquanto se está no processo de alto investimento da corporação na mudança, muitas coisas mudam, evoluem. Mas quando já não é mais novidade, aparecem vários desafios em relação a cultura, métricas, melhoria contínua, quebra de paradigmas. geralmente as questões mais complexas surgem. Quero compartilhar como estamos fazendo para continuar nessa revolução e conquistando cada vez mais resultados na Senior.

Vamos apresentar a JORNADA da TIVIT para montar o ferramental de apoio aos times de desenvolvimento da empresa. Os desafios e as dificuldades na jornada, e o principal, em um mercado com diversas ferramentas, qual escolher? Solução toda de um só fabricante? Hibrida? Qual o melhor caminho para escolha?

Você agilista, já se topou com uma empresa zerada em práticas ágeis com poucos o nenhum processo bem definido ou nebuloso?. O VSM é um mecanismo essencial para mapear processos e reconhecer gargalos e desperdícios, com ele você pode definir seu fluxo e estabelecer o Pull System (Método Kanban) para dar vazão à suas entregas. Sendo um dos 5 Princípios do Lean Thinking, tem sido um dos mais utilizados no universo de aplicações do Lean Thinking em empresas industriais, tecnológicas e de serviços.

Em um ambiente de negócios cada vez mais dinâmico, o tempo é um bem valioso. Como usá-lo a seu favor para planejar ações, comunicar idéias, gerar interesse no time e cativar os stakeholders? A resposta esta no Visual Thinking.
Assim como há uma gramática por trás da palavra, existe uma gramática por trás da exibição visual de informações. Uma vez compreendida, permite criar representações visuais claras e concisas do pensamento.
Neste workshop vamos ver e praticar os elementos básicos da representação visual, aplicados à gestão de produtos e projetos. você vai aprender a:
– Superar seus medos e perceber que qualquer pessoa pode desenhar
– Compreender a linguagem do pensamento visual
– Ser capaz de traduzir pensamentos e ideias em representações visuais
– Construindo sua própria biblioteca de símbolos visuais
– Diferentes formas e fluxos para estruturar a informação visual
– Tornar o desenho um hábito diário
– Ferramentas e materiais para a Facilitação Visual

O que não nos contaram sobre motivação
Teo Inke
(XP Investimentos)
Lean/Kanban na prática, sem balelas
Roberto Luersen
(Softplan)
Entrega contínua com tecnologias Open Source
Tiago Totti
(DBServer)
A agilidade tem que começar com a oferta do comercial!
Venícios Santos
(Codex Remote)

Muitos dos nossos ambientes criativos ainda seguem um modelo de gestão oriundo da revolução industrial, focado em tarefas repetitivas. O modelo de “cenoura e chicote” não funciona bem em ambientes com um mindset ágil. O que devemos e não devemos fazer para manter nossos colaboradores alinhados e motivados com essa cultura?

Objetivo da palestra é demonstrar o uso de indicadores factíveis (e realistas), melhoria contínua, mapeamento do fluxo de valor para o cliente, gestão visual efetiva e transparente, assim como a prática do fluxo arquitetural e processual, com conceitos fortes com base no Lean/Kanban, e sua utilização na prática.

Você ainda leva horas para realizar um deploy em produção? O artefato publicado nem sempre é o mesmo que foi validado no ambiente de testes? Seus testes são primariamente manuais?
Nessa palestra vamos mostrar como estamos evoluindo a cultura e as práticas de desenvolvimento de software nos times da DBServer, apoiado em tecnologias open source como Gitlab, Docker e Openshift/Kubernetes, para entregar software e ambientes com qualidade desde a primeira Sprint dos projetos.

Após diversas experiências em grandes projetos utilizando técnicas e práticas ágeis pude observar que a agilidade pode começar antes mesmo da concepção e desenvolvimento do produto. A oferta do produto ou serviço, o entendimento das necessidades, a articulação com o time de arquitetos e a elaboração da proposta comercial necessitam que o time comercial de sua empresa já somem competências ágeis para desde então encadear seus processos ágeis tornando um diferencial em sua oferta!

12:00 Almoço livre
13:50 Ferramenta Coach para head trainer ágil
Jorge Penillo de Souza
(Expertise Soluções e Treinamentos)
Escalando o Scrum no MP
Vinicius Silva
(Ministério do Planejamento)
Os 3Ms (Muda, Mura e Muri): O que desperdiçamos na nossa Operação!
Bruno Rafael de Medeiros Silveira
(Hepta Tecnologia)
Como desenvolver um MVP em empresas tradicionalmente hierárquicas
Guilherme Andreis
(Sicredi)
Agile CCPM: como entregar projetos de software até 20% antes do prazo
Charles Pacher
(Neogrid Software)

A importância do uso de Ferramentas Coach para mapeamento de Alto desempenho de Equipes, O uso do Método Apogeo pelo Head Trainer para criar agilidade em cada membro da equipe. Como descobrir e lapidar talentos na sua empresa. Promoções profissionais e novas oportunidades de mercado para quem domina as ferramentas.

Neste palestra vamos explicar como escalamos o Scrum para grandes Programas e Projetos no MPDG, por meio do Framework Ágil PES, apresentando os Frameworks de Ágil em Escala que influenciaram a evolução do PES e os resultados, obstáculos e lições aprendidas conhecidos em sua aplicação em grandes Programas e Projetos.

Desperdiçamos o maior bem que a TI tem: o tempo. Mas como o LEAN nos mostra quais são esses tipos de desperdícios e como diminuirmos?
Vamos entender o que Muda (Desperdício), Mura (desnivelamento) e Muri (sobrecarga) do Sistema Toyota de Produção, voltado para TI.

Existe um mundo de diferença entre a cultura de uma Startup e de empresas que nasceram 20, 30 anos atrás (ou mais). No mercado de hoje ser ágil deixou de ser uma inovação para se tornar uma necessidade, mas será que é possível absorvermos a “fórmula” do Lean Startup em empresas com hierarquias bem desenhadas?
Nessa talk iremos compartilhar alguns passos que permitam desenvolver MVPs dentro de estruturas tradicionais, e quais adaptações serão necessárias nesse processo.

Através de uma abordagem inovadora para gestão de projetos, será mostrado como reduzir em 20% ou mais o prazo de entrega de um projeto de software mantendo 100% do escopo acordado e sem abrir mão da qualidade. A Gestão de Projetos pela Corrente Crítica (CCPM) é uma solução simples para um problema complexo.

Como inovar e facilitar retrospectivas de forma criativa
Isabel Coutinho
(Wooza)
Abordagens ágeis aplicados na gestão pública
Kelly Anselmo
(Secretaria do Planejamento de Santa Catarina)
Como aumentar a produtividade do seu time em 25%?
Eliani Figueiró Ramos
(TOTVS – fluig)
Crescimento de produto, horizontal ou vertical?
João Marcus Alves
(Movidesk)

Retrospectiva não precisa ser monótona e abordar somente pontos positivos e negativos. Na palestra, apresento alguns formatos que utilizo de forma criativa para deixar essa cerimônia mais atrativa para os times. Falo de algumas dinâmicas autorais e cito algumas já conhecidas e que funcionam.

Nesta palestra, você irá saber como a aplicação de abordagens ágeis em órgãos públicos que não envolvem diretamente a TI, podem melhorar a comunicação, a qualidade das entregas, a colaboração e o engajamento entre o membros da equipe elevando o nível de maturidade e a auto-organização.

Entenda porque times maduros estão migrando do Scrum para o Kanban, vendo resultados tangíveis de aumento de produtividade para estes times. Case do uso do método Kanban no fluig, que resultou num aumento de produtividade de mais de 25%.

Considerando o ciclo de vida de um produto de software composto por 4 estágios: Inovação, Crescimento, Maturidade e Fim de vida essa palestra foca no segundo estágio, crescimento.
Considerando o market fit de um produto, essa palestra apresenta variáveis a serem consideradas para montar a estratégia de crescimento do produto, seja ela horizontal (tentando capturar mais mercado) ou vertical (focada em retenção de clientes).

15:10 One Minute Talk
O Agile Trends sabe que seus participantes possuem muitas experiências para compartilhar. Por isso criamos as sessões One Minute Talks, onde o palco e o microfone do Agile Trends estarão disponíveis para os participantes que quiserem compartilhar suas ideias, opiniões, projetos, falar sobre tendências, apresentar o seu negócio, contar um caso, compartilhar uma dificuldade, pedir ajuda em um problema…
Você tem 1 minuto para transmitir a sua mensagem como preferir.
15:50 Coffee-break
16:30 Agile Coach remoto: o que faz, onde vive?
Fernanda Lorenzetti Alves
(DevGrid)
Como implementamos upstream kanban em squads de backoffice no LuizaLabs
Vinícius Couto
(Luiza Labs)
DevSoxOps – Habilitando o Continuous Deployment em empresas regidas por SOX e compliance
Leonardo Matsumota
(Laureate)
Chatbot: um novo canal, uma nova experiência
Isabelli Gonçalves
(Hi Platform)
Agile UX Design: Aplicando ferramentas de UX Design em cerimônias do Scrum
Glauber Laender
(Stefanini Inspiring)

Equipes remotas são uma tendência. Mas e o Agile Coach nesse cenário, como atua? Compartilharei a minha experiência acompanhando 3 equipes remotas e multiculturais. O desafio da facilitação remota, o distanciamento humano e as estratégias que utilizo para vencer os desafios.

Com o objetivo de estabelecer o end-to-end flow para melhorar o refinamento, cadenciar o fluxo de demandas e, principalmente, aumentar a eficácia, compartilho experiências e dificuldades da implantação do upstream em squads com interdependências em contexto de backoffice do Luizalabs.

O objetivo do trabalho é demonstrar o case de DevOps na empresa Laureate, empresa multinacional na área de educação e que possui capital aberto na bolsa NASDAQ. Com times distribuídos (Brasil e exterior) e um processo de change management avaliado por compliance, tivemos de consolidar um modelo efetivo de integração contínua (gestão dos fontes, build, release, teste unitário e qualidade do código) e publicação das releases em produção com o mínimo de atuação humana (somente a aprovação formal da release para produção exigida por ITGC)

No momento de implantar e gerenciar um chatbot, existem diversos pontos que condicionam a experiência do contratante e do consumidor final. Desta forma, a palestra vem apresentar uma abordagem pioneira em Customer Experience focada em serviços de bot, unindo Sucesso do Cliente, UX e tecnologia.

Designers muitas vezes ficam deslocados ao ser incluído em um time ágil pela primeira vez. Os processos de design não são mencionados no Scrum Guide e por isso há uma dificuldade em encaixar esse papel nos times. Alguns acreditam que os frameworks ágeis não se adequam ao processo e, por isso, optam pelo Up Front Design e fazem um método “”cascata disfarçado””. É possível mudar o mindset para um design incremental. Esse workshop não é apenas para designers, mas para todos os papéis de um time ágil que querem melhorar a experiência dos seus produtos.

Agile Coaching: Muito mais sobre pessoas do que sobre processos
Guayçara Gusmon Gonçalves
(Itaú Unibanco)
Gerenciando uma startup no Github Projects. Sim! Até o marketing!
Elton Minetto
(Code:Nation)
Desenvolvo sistemas embarcados, agilidade não é para mim. Será mesmo?
Ricardo Pianta
(Datacom)
A fina (e excruciante) arte de montar um roadmap quando a gente quer entregar valor e não escopo
Eluza Pinheiro
(ContaAzul)

Como se diferenciar na carreira de Agile Coach, gerando verdadeiro aprendizado nos times, agregando valor e solidificando a cultura e as práticas ágeis. Será abordado o principal valor ágil que um profissional desse perfil deve ter como base. Se você já atua como agile coach, não seja apenas um agente transformador de processos, e sim de PESSOAS, e a forma delas interagirem com eles.

Nesta palestra vou falar sobre o case da Code:Nation, startup que implementou agilidade em todas as áreas da empresa usando o Github, Github Issues e Github Projects. Time de desenvolvimento, marketing, vendas, RH, todos juntos no mesmo ambiente, usando markdown, issues, milestones. E adorando !

A grande maioria dos cases em metodologia ágil abordam o desenvolvimento de software aplicativo convencional. Porém, o software está hoje disseminado num universo invisível aos mais desavisados. Um automóvel, um eletrodoméstico ou um dispositivo de rede hoje rodam softwares de alta complexidade, com requisitos muito altos de qualidade e disponibilidade. Quando pensamos em Continuous Integration/Delivery, automação de testes, parece impossível aplicar esses conceitos em sistemas especialistas embarcados. Vamos mostrar como endereçamos esses desafios e estamos no estado da arte desse segmento.

Baseado em fatos reais, dicas de como montar um roadmap de entrega de valores, com OKR’s na construção desse roadmap, levando em conta delivery e discovery e errar (ou tentar) somente nas suposições de produto, não no planejamento.

Team Care – Um time para cuidar de times
Gabriel Luisi
(BRQ)
Aguardando confirmação

Como começar a transformação DevOps na sua empresa?
Henrique Bueno
(Estabilis)
Guestologia na era digital
Victor Gonçalves
(AddTech)

Iniciamos um time com a intenção de desenvolver um produto de métricas para cuidar de outros times, no dia-a-dia desse time temos constantes desafios de empatia ao refletir situações de pessoas envolvidas no desenvolvimento de produtos, projetos, tomadas de decisão e até mesmo em como repassar o contexto interno de uma equipe para explicar a situação atual que está vivendo trabalhando a transparência.

Esta palestra abordará o motivo pelo qual empresas estão aderindo ao modelo ágil, explicará como o DevOps contribui para que as empresas vençam no mercado e apresentará 8 passos para iniciar a transformação DevOps em sua empresa.

Você não tem clientes. Você tem Guests! Nesta palestra você será apresentado aos conceitos que formam a base da Guestologia, utilizada pela Disney para garantir a entrega de valor em seus serviços junto aos seus convidados. E entenderá como estes princípios podem ser aplicados por times ágeis na criação e evolução de produtos digitais.

18:05

Happy Hour

Após a última apresentação, estendemos a programação com um grande happy hour para todos os participantes, palestrantes e patrocinadores. Uma ótima oportunidade de networking e troca de experiências!


Inscreva-se

11 de outubro

Trilha
Cultura Ágil e Team Building
Trilha
Planejamento e Gestão Ágil de Projetos
Trilha
Práticas Ágeis Para o Dia a Dia
Trilha
Design Thinking & Inovação
Trilha
Workshops

09:00 Boas vindas e Welcome Coffee
09:30 Um storming debaixo do tapete
Luis Renato dos Santos
(Luiza Labs)
Roadmap ágil de produto com priorização por ROI x esforço
Luciano Nascimento Hackl
(Portobello)
Hypersprints e priorização de backlog baseada em análise qualitava
Marcelo Marques
(ExxonMobil)
Transformação além das próprias fronteiras com Hoshin-Kanri
Leandro Angelo
(CI&T)
Workshop Easy Life Canvas
André Ricardi
(EasyBOK)

O Storming (do modelo de Tuckman) é o estágio do confronto e comumente lembrado pelas discussões sem resultado. Nas disfunções de um time, apresentados pelo Patrick Lencioni em seu livro, as duas primeiras (falta de confiança e medo do conflito) são inteiramente relacionadas a comunicação e a resolução de problemas. Apresentarei sobre cases que convivi, nos times em que atuei, essas disfunções, como elas estavam todas em baixo do tapete e como atividades de Team Building – geralmente atividades tidas como “de RH” – auxiliaram neste processo.

Roadmap ágil de produto utilizando o canvas de valor de negócio (ROI) x esforço (o nível de trabalho para fazer) para determinar a priorização das features do projeto e alocação em sprints de entrega.

Priorização de projetos e de items de trabalho é sempre um desafio em grandes empresas com grandes projetos que competem a atenção do time de desenvolvimento ao memo tempo.
Para dificultar mais as coisas, em uma empresa com mindset agile que usa um frame work hibrido para atender base suport e projetos, pode ficar ainda mais difícil. Venha conhecer os benefícios do hypersprint buscando evolução do Velocity de seu time e a forma eficiente de priorizar projetos através de uma análise qualitativa e WSJF adaptado.

Como estamos compartilhando o aprendizado que tivemos em nossa própria transformação com o pensamento Lean no exercício de planejamento estratégico através do Hoshin-Kanri que faz uso do pensamento A3 para suportar a transformação dos nossos clientes e parceiros. Como buscar uma transformação cultura, mudando o dia a dia das pessoas e os desdobramentos que impactam um desafio que pode cruzar uma mudança na estrutura organizacional.

Oficina que apresenta uma metodologia de gestão colaborativa para entender, organizar e gerenciar projetos de qualquer porte.
Objetivos:
– Identificar quais os problemas que são enfrentados pelos participantes em seus projetos, bem como no mercado de uma maneira geral.
– Apresentar uma metodologia colaborativa comprovadamente eficiente para engajar todos os participantes de um projeto, e obter melhores resultados.
– Demonstrar na prática a eficiência do método com o uso de exemplos reais.

Agile Soft Skills – A importância das habilidades interpessoais na agilidade
Camila Capellão
(CWI Software)
Técnicas de Priorização
Márcia Bifulco
(Objective Solutions)
Usando Especificação por Exemplos para melhorar a eficácia das Entregas
Bárbara Cabral
(Bravi)
O guia “faça você mesmo” para Inovação
Eduardo Oliveira
(e-Core)

É fato que as habilidades interpessoais sempre foram apreciadas e requisitadas pelas empresas, porém, cada vez mais, novas aptidões são exigidas, aptidões alinhadas com os valores e princípios ágeis. Aquela ideia do profissional de TI que fica somente atrás de um computador e não precisa se comunicar com ninguém está cada vez mais distante da realidade que vemos em muitas empresas. A capacidade de trabalhar junto ao time em prol de um objetivo é a base para se obter produtividade e inovação.

Como você prioriza o seu backlog, no feeling?
Gostaria de conhecer técnicas e ferramentas que facilitem a priorização do seu backlog?
O objetivo dessa palestra é apresentar técnicas que te apoiem na tomada de decisão, que te auxilie a maximizar a entrega de valor e melhorar o alinhamento das expectativas.

Num cenário onde a data da Entrega foi encurtada de 535 para 60 dias, com vários refactorings de telas e arquitetura, como usamos alguns conceitos da Especificação por exemplos para reduzir o número de defeitos. Também vou apresentar os efeitos de termos abandonado a prática no meio do processo e o side-effect que ocasionado por essa mudança.

Vamos discutir nesta palestra os principais desafios de estruturar uma área de inovação no contexto de empresas já estabelecidas e apresentar as principais recomendações a partir de lições aprendidas no desenvolvimento e execução de um projeto de Transformação da Inovação passando pelas fases de descobrimento, piloto, adaptação e escala do programa.

10:50 Fishbowl: Gestão de pessoas e o papel dos Agile Coaches – o que esperar deles em ambientes ágeis?

Facilitador: Gabriel Vaz
(UNESCO / INCRA)

Fishbowl: Técnicas para Priorização e geração de valor
Facilitador: Cristiano Schwening
(Cesusc)
Breaking Bias – Lidando com nossos vieses cognitivos
Rodrigo Bastos
(Target Teal)

O Fishbowl é um formato de discussão em grupo que promove o diálogo e a troca de experiência entre os participantes da sessão e permite que todos tenham as mesmas chances de opinar e expressar seus pontos de vista.

O Fishbowl é um formato de discussão em grupo que promove o diálogo e a troca de experiência entre os participantes da sessão e permite que todos tenham as mesmas chances de opinar e expressar seus pontos de vista.

Tomamos decisões todos os dias e ignoramos a ubiquidade dos vieses cognitivos. Como peixes dentro da água, não notamos como nosso cérebro pega atalhos a cada momento que temos que decidir.
Nesta sessão você irá ganhar consciência sobre a existência dos mais de 150 tipos de vieses cognitivos, como eles afetam o nosso cotidiano nas empresas e organizações e discutir estratégias que podem minimizar seus efeitos nocivos.

11:50 Almoço Livre
13:50 Como transformar a cultura? Lean e Agile a serviço dos funcionários.
Antonio Siqueira
(Adaptworks)
5 Formas de Falhar seus Contratos Ágeis (e perder dinheiro)
Gabriel Vaz)
(UNESCO / INCRA
Métodos ágeis para equipes de manutenção de software
Dhiego Tosatti
(Senior Sistemas)
Transformação cultural em um ambiente global
Jackson Régis Sieber Varjão
(ExxonMobil)
Construindo o Agile Mindset Board
Andy Barbosa
(Agile Institute Brasil)

Grandes empresas já estão na jornada com uma iniciativa para que possam se transformar em Digital, Ágil e com uma Cultura aderente. É necessário prestar atenção nas armadilhas e de como as preocupações mudam conforme a evolução. Times Cross Funcionais ou silos Cross Funcionais? Foco na entrega de valor antecipada para seu cliente final, mas não se esqueça que seu primeiro cliente são as pessoas que trabalham na organização.
Conheça minha experiência e resultados obtidos aplicando uma nova visão para estimular a mudança interna e trazer coordenação para times em ambiente escalado.

Se você quer começar com o pé direito e seu MINDSET preparado para vencer as 5 FORMAS de falhar, ASSISTA esse talk. Neste estudo INÉDITO você terá acesso a lista COMPLETA e extremamente prática das principais saídas que usamos para entregar valor num ambiente hostil. Essa palestra é fruto de uma vivência intensa sobre as resultados ágeis onde o ambiente, processos, pessoas e contratos NÃO ÁGEIS. Uma palestra que pode servir como guia para o seu dia a dia, para te ajudar a tomar decisões inteligentes, evitar erros e entender a lógica por de trás da implantação de Processos Ágeis rentáveis.

Muito se fala em transformação ágil, mas pouco se fala em como aplicar técnicas e ferramentas para equipes de manutenção de software. Nessa palestra conversaremos sobre como levamos agilidade (ferramenta e Kanban) para equipes de manutenção de software na Senior Sistemas, Discutiremos sobre processo de comunicação, engajamento das equipes e dificuldades encontradas.

Afinal, por onde começa a jornada ágil de uma organização? E quando a organização é gigante? É imprescindível garantir que todos compreendam o mindset ágil e qual o seu papel nessa transformação cultural. Isso envolve saber como o que você faz hoje se diferencia desta nova maneira de pensar e quais barreiras podem impedir seu sucesso. Neste bate papo, abordaremos estes assuntos enquanto contamos a história de como uma companhia global está transformando as mentes de seus colaboradores a partir de um treinamento focado em mindset ágil. Scrum, Kanban? Oras, existe muito mais por trás disso!

Este Workshop tem o objetivo de construir, colaborativamente, o Agile Mindset Board, a partir da apresentação e discussão dos Valores e Princípios do Manifesto ágil e posterior dinâmica de grupo composta por 3 etapas: a. defesa dos valores do manifesto; 2. a construção do Agile Clock; 3. A construção do Agile Mindset Board.

Suporte, Marketing, RH e Desenvolvimento ágil? É hora de falar de transformação ágil na prática!
Dieine da Silva
(HostGator)
RISK BOARD – Uma abordagem de gerenciamento ágil de Riscos
Allan Rett Ferreira
(Softplan)
Gestão de Tempo: como criar uma cadência de entregas eficazes na sua organização
Marcely Santos
(ThoughtWorks)
Aguardando confirmação

Nesta palestra compartilharei com vocês os aprendizados, desafios e erros que já enfrentamos nestes 7 meses de trabalho de implantação de cultura ágil na HostGator Latam. A mudança teve seu início com as equipes de desenvolvimento e de produto, e a medida que os ganhos se tornavam visíveis, uma mudança contagiou a organização de forma que as áreas de Suporte, TI, Marketing e demais áreas da HostGator Brasil passaram a vivenciar a transformação de forma intensa. Iremos apresentar sobre o presente, desafios e o futuro desta transformação e como estamos promovendo a cultura de melhoria continua.

Os métodos Ágeis magicamente apagaram a necessidade de identificar e mitigar os riscos de projetos de software? A resposta é NÃO! Mesmo que os riscos fossem reduzidos através das entregas contínuas e com entregas de menor esforço, ainda é necessário gerenciar e classificar os riscos dos projetos.
Adicionar riscos ao projeto e gerenciá-los, diminuirá as chances de variabilidade e surpresas nos projetos.
Conheça o RISK BOARD, uma ferramenta criada para gerenciar os riscos e as respostas necessárias ao risco de forma ágil.

Liderando equipes de desenvolvimento de produtos digitais por vários anos, percebe-se que normalmente as pessoas possuem muita dificuldade em gerir seu tempo de forma eficaz dentro de seu dia a dia de trabalho. Baseando-se em vivências e feedback de clientes, identifica-se a necessidade de conversar sobre a gestão do tempo com a equipe, uma excelente alternativa para alcançar entregas de sucesso do projeto. O objetivo nessa talk é falar como a gestão do tempo vem ajudando nesse desafio de apoiar as pessoas nesse caminho de usar o seu tempo da forma mais efetiva e focar em entregas de sucesso.

15:10 One Minute Talk
O Agile Trends sabe que seus participantes possuem muitas experiências para compartilhar. Por isso criamos as sessões One Minute Talks, onde o palco e o microfone do Agile Trends estarão disponíveis para os participantes que quiserem compartilhar suas ideias, opiniões, projetos, falar sobre tendências, apresentar o seu negócio, contar um caso, compartilhar uma dificuldade, pedir ajuda em um problema…
Você tem 1 minuto para transmitir a sua mensagem como preferir.
15:50 Coffee-break
16:25 O QA Agile de verdade
Marina Manso
(Tapps Games)
Proteção de Dados e Privacidade na era da Transformação Digital, da Agilidade e da Inovação
Hélio Cordeiro
(DARYUS)
Mantenha seu time remoto ágil
Juliemar Berri
(Resultados Digitais)
Agilização de projetos no setor público com Design Sprint
Marilia Nunes Fernandes
(ANAC)
Workshop Scrum – Entenda na prática a importância de cada evento
Claudia Petry
(TOTVS)

Ao falar QA Agil, é provável que venha a sua cabeça testes automatizados! Porém não é a automação que faz a agilidade, já podemos ter testes automatizados no modelo cacata também. Então o que faz área de qualidade dá sua empresa ser Agil? Descubra esse midset! Aprenda estratégias e práticas para aplicar no dia-a-dia, e como mudamos a mentalidade de QA na Tapps Games.

O Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR) e a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) são regulamentos e leis sobre proteção de dados e privacidade para todos os indivíduos dentro da união europeia e do território brasileiro respectivamente, afetando qualquer atividade que envolva utilização de dados pessoais, incluindo o tratamento pela internet. Descubra como estas mudanças na proteção de dados e na privacidade impactam as organizações, a sociedade e as pessoas em seu dia-a-dia, em plena era da Transformação Digital, da Agilidade e da Inovação.

Hoje cada vez mais as empresas estão adotando times remotos e com eles vem o desafio de gestão, comunicação e cadência das boas práticas ágeis. Nesta palestra apresento, como nosso time aqui na RD tem se organizado e como estamos alcançando alta performance com um time 100% remoto. Vou apresentar boas práticas, o que está funcionando, o que já não funcionou e ferramentas que mantém o time na mesma direção.

A utilização do Design Sprint é muito comum para o desenvolvimento de produtos, principalmente de softwares, mas será que podemos utilizar o método para projetos da área de regulação no setor público? A palestra versará sobre um caso de aplicação do Desing Sprint para acelerar a entrega de um projeto prioritário da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), relacionado à fiscalização do sistema de gerenciamento da segurança operacional.

Neste workshop os participantes terão a oportunidade de experimentar a dinâmica do framework Scrum desde a compreensão do backlog até a retrospectiva. Vamos realizar atividades práticas com objetivo de frisar a importância de cada etapa no processo.

Feedback como uma ferramenta para construção de times de alto desempenho
Paulo Bischof
(Resultados Digitais)
Como NÃO usar métricas em seu projeto!
Maria Cláudia Provinciatto
(ThoughtWorks)
Obtenção de Métricas Automáticas com Actionable Agile
Allex Espindola Erckamnn
(CITeB – Intelbras)
Design Sprint e Lean Inception se complementam. Como?
Mayra Rodrigues de Souza
(Ação criando ambientes colaborativos & criativos)

Feedback é uma prática imprescindível para a construção de um time de alto desempenho. Talvez muitas pessoas não criaram ainda essa relação de importância. Com essa palestra eu pretendo trazer para vocês uma abordagem processual sobre Feedback, com conceitos base para executar bons feedbacks.

Tendo como base experiências em diversos projetos e contextos, irei apresentar 10 erros que cometi ao adotar métricas em projetos, os motivos por trás disso e os aprendizados gerados.

O foco desta palestra será a demonstração de como obter métricas automáticas por meio da ferramenta Actionable Agile e evidenciar o benefício da sua utilização. Para você que utiliza Kanban, Scrum, ScrumBan, tradicional ou qualquer outro modelo de trabalho, sabemos o quão moroso é a geração de relatórios de progresso e indicadores de produção dos times. Pare de perder horas do seu dia gerando relatórios manuais, utilize seu tempo para avaliar as métricas certas, obtenha as informações que realmente importam e tome decisões assertivas através de fatos.

Duas técnicas uma de discovery e outra de definição, o objetivo desta palestra é mostrar como utilizar as técnicas de forma complementar. Existem algumas dúvidas que irei responder, como:
– Qual é o objetivo de cada técnica?
– Qual insumo você tem como resultado de cada técnica?
– O que tenho de ter claro e preparado antes para cada técnica?
– Em que momento realizar cada técnica?
Junto compartilharei dicas sugeridas de cada técnica, e que você pode usar na outra para lhe apoiar. Venha saber como estou estruturando estas duas técnicas e também sugerir mais maneiras de pensar em como usar!

Scrum e Gamification
Yuri Bilinski Escarião
(Cognizant)
Sprint Planning – Tudo que você sempre quis saber sobre “Ideal days”, “Ideal time” e “Fibonacci”
Jhonatan de Sousa Teixeira
(Mooven)
WTF is product culture?
Paulo Sigaud Sellos
(Nubank)
Crer para ver – Criando Startups nas corporações
Marco Migliavacca
(Bmodal Innovative)

Como podemos utilizar os processos de Gamification em conjunto com o Scrum para ganharmos produtividade e tornar o dia a dia de seu time mais leve e divertido sem perder o projeto como foco.

Há muita confusão sobre o planejamento e estimativas ágeis, muita gente confunde esforço com tempo, o time ágil iniciante muitas vezes fica perdido e se pergunta qual a base comparativa para se votar as primeiras vezes. Muitos não sabem o real objetivo do Fibonacci e quando decidem votar em Horas acabam não sabendo como lidar com essa métrica de forma mais abstrata

Ouvimos constantemente que precisamos ser ágeis, entregar, go fast and break things! Mas como fazer isso de verdade? Melhor ainda, o que uma cultura de produto tem a ver com tudo isso? Muito mais do que você imagina! A ideia é passar um pouco sobre conceitos e práticas que vivemos no Nubank para fazer nosso dia a dia verdadeiramente ágil.

Apresentaremos um modelo de gestão de negócios baseados em tecnologia, que viabiliza a inovação de negócios nas empresas medias e grandes. Fortemente baseada nos princípios ágeis, propomos um modelo interativo e incremental, orientado a resolver problemas de negócio e dos clientes destas empresas, usando conceitos de TI bimodal, com investidor anjo e times multidisciplinares que trabalham para solução de um problema. É um modelo de fé sem fidelização, para problemas conhecidos e soluções desconhecidas, em empresas que ainda estão muito presas a modelos de projetos viabilizados por ROI.

18:00 Encerramento

Obs: A programação pode ser atualizada a qualquer momento, sem aviso prévio.

 

Inscreva-se